FANDOM



Antonio Montana, conhecido como Tony Montana, é o personagem fícticio interpretado por Al Pacino no filme Scarface. É um refugiado cubano, fugitivo do regime comunista de Fidel Castro.

HistóriaEditar

Scarface (1983)Editar

Em maio de 1980, Fidel Castro abre o porto de Mariel em Cuba para permitir que os cubanos que queiram deixar o país que o façam. No entanto, nesse êxodo, criminosos e ex-presidiários estavam no meio das pessoas que emigraram para Miami na Florida. Tony é um dos muitos 125.000 cubanos no êxodo de Mariel para Miami, um dos quais dentro de estimados 25.000 pessoas, tinha uma ficha criminal. Quando ele chega a Miami, ele é questionado por autoridades norte-americanas, Tony diz que toda a sua família está morta ou ficou em Cuba e que ele era um "prisioneiro político". No entanto, os oficiais não acreditam justamente por causa de uma tatuagem de prisão em sua mão esquerda, que indica que ele era um assassino. Por causa desse indício, não é concedido a ele um Green Card.

FreedomtownEditar

Tony e seu amigo Many Ribera são enviados para Freedomtown, um campo de refugiados sob a rodovia I-95 que foi feito para abrigar imigrantes cubanos sem green cards. Depois de um mês no campo, Frank Lopez, cabeça de um cartel de drogas em Miami, oferece green cards para eles em troca de assassinar Emilio Rebenga. Logo após Rebenga chega ao acampamento, Manny e seus cúmplices causaram um tumulto, onde Tony mata Rebenga a facadas enquanto no tumulto os cubanos gritavam "Libertad".

Omar SuarezEditar

Tony e Manny conseguem os Green Cards e são liberados, logo os dois conseguem emprego como lavadores de louça para um restaurante pequeno em Little Havana, Miami. Em agosto de 1980, após um mês de trabalho, são abordados por Omar Suarez, o homem que Frank Lopez mandou para contatar Manny para o assassinato de Rebenga. Ele oferece US$500 a Tony e Manny cada para trabalhar para Lopez e ajudar a descarregar 500 quilos de maconha de um barco do México. Tony insatisfeito com esta oferta solicita pelo menos US$1.000, o que irrita Omar que quase saca sua arma para matar Tony mas é parado por seu motorista. Omar oferece a Tony um acordo de compra de cocaína com colombianos em vez disso, por US$5.000 cada, o que Tony aceita com um olhar desconfiado.

Hector El SapoEditar

Poucos dias depois, Tony, Manny, Chichi e Angel (Cubanos que também passaram um tempo em Freedomtown) se dirigem ao ponto de encontro em um hotel na praia de Miami. Enquanto Manny e Chi Chi esperam no carro, Tony e Angel se dirigem à sala de hotel para se encontrarem com os colombianos. O traficante de cocaína, Hector, diz ele não tem a cocaína com ele, então Tony diz que ele não tem o dinheiro. De repente, o negócio vai mal e Angel e Tony são algemados dentro do box do chuveiro. Hector exige o dinheiro, o que implica que ele planeja matar Tony em vez de vendê-los a cocaína, mas Tony se recusa. Hector então assassina Angel com uma serra elétrica.

Manny e Chichi que foram instruídos a permanecer no veículo por 10 minutos e que caso Tony e Angel não retornem dentro desse tempo, eles devem ir investigar o rolo. Ao chegarem próximo da porta do quarto do hotel e ouvir o tumulto, Manny adentra o recinto e dá rajadas de tiros através da porta com uma metralhadora MAC-10. Depois de um tiroteio curto em que Manny leva um tiro no braço, e Hector é morto por Tony, juntamente com associados de Hector, Tony, Manny, e Chi Chi escapam com o dinheiro e a cocaína. Tony liga para Omar para informar o ocorrido e diz que em vez de permitir Omar a levar a cocaína para Frank, Tony diz que ele pessoalmente quer ver Frank e entregar o produto e o dinheiro em suas mãos.

Frank LopesEditar

Frank e Tony se conhecem e logo começam a se entender, mas Tony depois confidencia a Manny que Frank pode ser muito "molenga" para ser um grande jogador por muito tempo. Tony e Manny acabam trabalhando com Frank no negócio de tráfico de drogas. Enquanto isso, Tony tem interesse na namorada de Frank, Elvira Hancock. Frank leva Tony, Manny e seus companheiros até o The Babylon Club, um local de alta classe que Frank frequenta. Embora Tony flerte com Elvira, ela não mostra nenhum interesse nele.

Gina MontanaEditar

Três meses mais tarde, Tony faz uma visita a sua mãe e irmã mais nova Gina, que não as vê por cinco anos. Gina está animada para ver Tony, mas sua mãe se envergonha dele, depois de ter aprendido há muito tempo de sua vida de crime. Quando ele dá a sua mãe US$1.000, enquanto alega que ele é um organizador da comunidade projeto "Anti-Castro", a mãe rejeita o presente com raiva e joga-o fora. Tony vai embora, mas Gina corre atrás dele, ele escorrega-lhe os US$1.000 em segredo, e diz a ela para dar um pouco a sua mãe de vez em quando.

Alejandro SosaEditar

Mais tarde, na Bolívia, Tony e Omar estão organizando o contrabando para os Estados Unidos com um grande barão de drogas, o senhor Alejandro Sosa, em nome de Frank, que não pôde viajar devido a um julgamento criminal pendente. Tony começa independentemente a tomar decisões importantes sobre a distribuição das drogas através do Panamá, irritando Omar, que acredita que apenas Frank tem autoridade para tomar essas decisões. Omar e Tony começam a discutir sobre o assunto, enquanto Sosa oferece um passeio de helicóptero rápido de volta para casa para falar sobre a transação com Frank. Sosa, em seguida, da ordens de seu assassino, o The Skull, para dar uma surra e pendurar pelo pescoço e assassinar Omar, e explica a Tony que ele era um informante da polícia. No entanto, Sosa acredita que Tony é confiável e faz dele um dos seus parceiros comerciais, advertindo-o severamente que Tony nunca deverá "foder com ele" (traí-lo de qualquer maneira).

Ao voltar para a Flórida, Tony é repreendido por Frank, que está irritado sobre o que aconteceu com Omar, bem como a relação de Tony com Sosa. Frank avisa Tony que Sosa é um traidor e não pode ser confiável. Tony e Frank posteriormente irão cessar a sua relação de negócios, enquanto Tony começa a fazer passes mais ousados ​​em Elvira.

Mel BernsteinEditar

No The Babylon Club, Tony é surpreendido por um corrupto detetive de narcóticos de Miami, Mel Bernstein, que informa que ele tem evidências ligando Tony para o assassinato de Rebenga e os traficantes de drogas colombianos. Bernstein, em seguida, impõe uma "taxa" para Tony sobre as suas operações em troca de proteção policial e informação. Bernstein solicita também dois bilhetes de primeira classe de avião para Londres.

Tony está convencido que Frank enviou Bernstein porque só Frank iria saber detalhes sobre os assassinatos. Enquanto conversava com Bernstein, Tony se distrai com a visão de sua irmã Gina dançando com um traficante de baixo nível. Tony vê o traficante leva-la para o banheiro dos homens para bimbar com ela na cabine, levando Tony a surrar o traficante e repreender Gina. Quando Gina diz a Tony que ela tem idade suficiente para fazer o que quiser, Tony dá um tapa nela. Manny, que estava presente no momento, o acalma. Após o incidente, Tony ao ver Elvira, prontamente flerta com ela na frente de Frank, o qual se irrita e diz que Tony deve procurar a sua própria mulher, no entanto, Tony insulta Frank dizendo que apenas culhões dão ordem nesse mundo e pergunta se o mesmo os têm.

A tentativa de assassinatoEditar

Mais tarde no mesmo dia, enquanto estava no club, Tony quase é assassinado quando dois homens tentam matá-lo com metralhadoras. Tony consegue escapar, ferido mas vivo, e está convencido de que Frank é o responsável pela tentativa de homicídio. Tony instrui dois de seus homens para chamar Frank exatamente ás 3 da manhã em seu escritório com as palavras: "Nós fodemos com o plano". Armados com pistolas de silenciador, Tony e Manny vão procurar Frank na sua concessionária de carros e encontram Frank no meio de uma reunião com Bernstein. Usando a isca do telefonema, Tony confirmar sua suspeita de que Frank realmente estava por trás da tentativa de homicídio. Admitindo sua culpa, Frank então implora por piedade aos pés de Tony, oferecendo 10 milhões dólares que ele guarda em um cofre na Espanha (um país que na época era um paraíso fiscal, devido à recente morte de Franco). Tony ordena Manny para atirar em Frank e o matar. Mais tarde, Tony vai à casa de Frank, dizendo Elvira que o traficante está morto e que ele quer que ela se case com ele. Tony olha para o céu e vê um dirigível Pan-Americana com as palavras "The World Is Yours" do lado.

Cartel MontanaEditar

Durante o próximo ano, Tony consegue vender cerca de 2 toneladas de cocaína, que ele comprou de Sosa, o que lhe rende US$75 milhões de dólares, e logo ele consegue lucrar US$15 milhões de dólares por mês. Ele compra uma mansão e a equipa com todo tipo luxo, desde equipamentos de segurança até um tigre de verdade. Ele se casa com Elvira e assume império de Frank, criando o Cartel Montana e um grande número de fachadas de negócios legítimos lucrativos. Ele faz Manny ser seu braço direito em comando e responsável pela segurança de seus armazéns e mansões.

No entanto, o "sonho americano" de Tony começa a desabar, pois Elvira e ele tornam-se viciados em cocaína. Como resultado, Tony se torna mais paranoico e violento, e Elvira fica entediada e distante.

Tony se torna ganancioso e egoísta com a sua riqueza. O banco que lava o dinheiro da droga de Tony quer cobrar taxas maiores, e como consequência Tony manda Jerry embora e diz que vai mandar o dinheiro para Bahamas. Manny e Gina começam a namorar pelas costas de Tony, com medo da ira do mesmo caso ele descubra.

SeidenbaumEditar

Em fevereiro de 1983, Tony é preso por lavagem de dinheiro e evasão fiscal, por Seidenbaum, um lavador de dinheiro local, que acaba por ser um policial disfarçado. Tony paga uma fiança de US$ 5 milhões e aguarda o julgamento em liberdade. O advogado de Tony, Sheffield, diz-lhe que, embora ele possa negociar apelo para enrolar o processo de prisão de Tony, ele ainda vai acabar indo em cana, pelo menos, três anos de prisão por sonegação de impostos de renda.

Sosa, não querendo perder o seu principal distribuidor, chama Tony para a Bolívia e pede ajuda para assassinar um boliviano ativista anti-governo, que está expondo relações de Sosa com os líderes bolivianos na televisão. Em troca, Sosa irá usar seus contatos no Departamento de Justiça dos EUA em Washington DC, para manter Tony para fora da prisão. Tony é claramente contra assassinar um civil, mas não vendo outras opções, aceita o acordo. Depois de regressar a Miami, Manny tenta conversar com Tony para ele voltar para Miami e não ir para Nova York.

Pouco tempo depois, Elvira deixa Tony depois que ele a insulta em um restaurante em Miami. Minutos depois, Tony bêbado começa a gritar com os clientes por olharem para ele com nojo. Ele diz que eles precisam de pessoas como ele, e diz - "Digam boa noite ao cara mau".

Tony e Alberto, o associado de Sosa, viajam para Nova York para matar o ativista. Alberto planta uma bomba sob o carro do ativista. O plano é detoná-lo quando ele chegar ao edifício das Nações Unidas para dar uma palestra sobre seu trabalho ativista. No dia em que o assassinato está a ter lugar, Tony não quer detonar a bomba, porque a esposa do ativista e crianças estão no carro também. Quando Alberto tenta detonar a bomba de qualquer maneira, Tony atira na cabeça dele.

Tony volta para a Flórida para encontrar sua mãe, que o acusa de corromper Gina. Sosa furioso ameaça matá-lo por não ter cumprido o plano, durante uma conversa telefônica aquecida, o relacionamento de Tony e Sosa, efetivamente, se rompe. Tony tenta localizar Manny, e o encontra junto com Gina. Percebendo que Manny dormiu com sua irmã, Tony atira e o mata em uma raiva-abastecida de cocaína, antes de Gina revelar que eles tinham acabado de se casar. Tony e os seus homens saem do local e vão para a mansão. Enquanto isso, um grande grupo de armados assassinos enviados por Sosa cercam a mansão. Enquanto Tony se senta em seu escritório, perturbado com suas ações e cheirando grandes quantidades de cocaína, os atiradores começam silenciosamente a matar os guardas de Tony.

A Gina aflita entra no escritório de Tony empunhando uma Smith & Wesson Modelo 36, acusando-o de querê-la para si, antes de atirar na perna do mesmo. Tony tenta acalmá-la, antes de um dos assassinos entrar no escritório pela janela e abrir fogo, matando acidentalmente Gina. Tony imediatamente aborda o homem para fora da janela, e atira várias vezes em seu corpo, criando uma comoção grande. Roubado o elemento surpresa, homens armados de Sosa lançaram um assalto sobre a mansão de Tony. Enquanto o corpo de Gina está em seus braços, os homens de Sosa fizeram seu caminho através da mansão com facilidade. Tony da rajadas de seu escritório empunhando um fuzil de assalto M16 com lançador de granadas M203 fixado, e grita "Diga Olá para o meu amiguinho!" e começa a disparar freneticamente nos capangas, matando dezenas deles, apesar de ser gravemente ferido. A carnificina continua até que o The Skull, que em silêncio entra na parte de trás da mansão, finaliza Tony com tiros nas costas com uma espingarda de cano curto. O corpo de Tonny cai de sua varanda em uma pequena fonte no lobby abaixo, flutuando com a face para baixo na água embaixo de uma estátua do mundo levando a inscrição "The World Is Yours" em neon rosa.

Scarface: The World Is YoursEditar

O jogo de vídeo game intitulado Scarface: The World Is Yours, é uma continuação alternativa do filme, apresenta um final em que Tony sobrevive à tentativa de assassinato, mas ainda perde a maior parte dos seus bens. Tony pressente seu assassino, The Skull, e atira nele, antes de fugir de sua mansão. O fim da primeira missão mostra que ele perdeu US$65.884.703 (Que por curiosidade é quantia que Scarface faturou nas bilheterias) e 2.500 kg de drogas. Ele foi se esconder em um barraco pequeno perto de Virginia Key, Beach Park em Miami, onde ele tinha apenas necessidades básicas, seu carro Cadillac Series 62 , US$1.000, e uma pistola M1911. Sua mansão foi apreendida por policiais. No entanto logo no começo do jogo, Tony é capaz de voltar a morar na mansão subornando os policias por US$10.000, que Tony faz em um único dia de drogas.

Durante esta missão de vingança, Tony tem que derrubar vários rivais que estão ansiosos para assumir seu império depois da tentativa de assassinato. Gaspar Gomez e Alejandro Sosa, desde então, se uniram para formar um monopólio de drogas, e fixar os seus preços excessivamente elevados. George Sheffield, seu ex-advogado, é indiferente para Tony e mais tarde o trai com Gomez e Sosa.

Tony primeiro recupera Little Havana, que tinha sido tomado pelos irmãos Diaz. Isto incluiu a "Lopez Motors", concessionária onde comprou seu Porsche 928 no filme, que os irmãos renomearam para "Diaz Motors". O jogo permite que o jogador se aventure fora de Miami para o Caribe, onde ele leva para baixo Nacho Contreras. Tony também encontra uma barman chamada Vênus, que se torna uma de suas namoradas no final do jogo. No final do jogo, Tony, sozinho, toma um pequeno exército na casa de Sosa na Bolívia, onde ele mata Sheffield, Gomez e Sosa

Vida PessoalEditar

  • A causa de sua cicatriz foi uma briga quando criança. (ou não)
  • Seu pai lhe abandonou quando ainda era criança.
  • O relacionamento com sua mãe e sua irmã era muito difícil.
  • Casou-se com Elvira Hancock (Michelle Pfeiffer), ex-esposa de seu antigo patrão.
  • Sofreu tentativa de assasinato por seu ex-socio, Alejandro Sosa.
  • Sobreviveu a um ataque em sua mansão.
  • Se separou de Elvira.
  • Matou seu ex-socio.
  • Casou-se com Vênus.

Ver TambemEditar